Back to top

[Resenha] Ligeiramente Pecaminosos de Mary Balogh !!!

Série Os Bedwyns #5

 

 

 

 

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580416176
Ano: 2016
Páginas: 272
Tradutor: Ana Rodrigues

 

Em meio à Batalha de Waterloo, lorde Alleyne Bedwyn é ferido e dado como morto pela família. Ao acordar, ele se vê no quarto de um bordel sem lembrar quem é ou como foi parar ali. Sua única certeza é que deseja conquistar o coração do anjo que cuida dele todo dia.

Contudo, assim como ele, Rachel York não é quem parece. Depois de enfrentar uma situação difícil, que a levou a viver numa casa de pecados, agora a bela e inteligente jovem precisa recuperar seu dinheiro e as economias das amigas prostitutas, roubados por um falso clérigo. E o belo soldado de quem vem cuidando parece perfeito para se passar por seu marido e ajudá-la em seus planos.

Porém, apesar de ter perdido a memória, Alleyne não perdeu nada de sua sedução. De volta a Londres, os dois se envolvem em um escândalo pecaminoso e, a cada beijo, esquecem que seu relacionamento é apenas uma farsa e ficam mais perto de se entregar à paixão.

Neste quinto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh apresenta um romance repleto de humor, com personagens carismáticos que o leitor não conseguirá abandonar ao fim da história.

 

Adicione aos seus desejados no Skoob

 

Impressões

A narrativa de Ligeiramente Pecaminosos e Ligeiramente Seduzidos, o livro anterior da série, ocorrem simultaneamente e me diverti muito especulando como as coisas poderiam ter sido completamente diferentes se “isto ou aquilo” acontecesse. Porém, o que seria do universo dos romances sem um monte de “e se…”.

A premissa deste livro não me pareceu muito atraente no início. Quero dizer, há amnésia, decepção e outro casamento falso – o quarto casamento falso na série Os Bedwyns. Isso deveria ter sido impedimentos demais para me conquistar, certo? Errado! De alguma forma, Mary Balogh fez tudo funcionar fazendo com que eu verdadeiramente me apaixonasse pela trama.

Lord Alleyne Bedwyn, que acaba de iniciar uma carreira como diplomata, foi enviado para a Batalha de Waterloo para entregar uma carta ao Duque de Wellington. Mas Alleyne é baleado, cai de seu cavalo e sofre uma lesão na cabeça. Inconsciente e indefeso, ele é saqueado e deixado para morrer na floresta.

Rachel York é uma jovem mulher e já está praticamente sozinha no mundo, tem somente um tio estranho como único parente ainda vivo e trabalha como acompanhante de uma senhora em Bruxelas. Ela entrega seus escassos recursos ao Reverendo Nigel Crawley para depois descobrir que ele não é o que parecem ser, mas sim um golpista que a enganou. Nigel também roubou as economias de vida de quatro prostitutas que acabam amigas de Rachel, então agora ela se vê morando em um bordel com estas damas da noite enquanto traçam um plano para rastrear o “Reverendo” e recuperar o dinheiro. Desesperadas por recursos para custear essa perseguição, a maneira mais rápida que elas encontram é saquear os mortos da Batalha de Waterloo. Então, elas vão ao campo de batalha, mas Rachel decide ficar para trás na floresta…

E por obra do destino o primeiro corpo “morto” que Rachel encontra é o de Alleyne, e quando ela percebe que ele não está realmente morto, grita por ajuda e leva Alleyne ao bordel com a ajuda do sargento William Strickland. Enquanto cuidava dos dois homens, pois o Sargento Strickland também foi ferido na batalha, Rachel desenvolve uma “conexão” especial com Alleyne. E o moribundo paciente que alterna momentos de consciência e delírios, se vê apaixonado por ela. Alleyne sabe que está febril e pelo menos parcialmente delirante, mas que homem não se apaixonaria por um anjo? Mesmo que este anjo jure ser uma prostituta. O problema é que, quando este homem finalmente acorda de seu combate com a morte, está com amnésia e não sabe quem é.

Com um pouco de medo de enfrentar sua nova realidade sozinho e esperando conseguir mais algum tempo até recuperar sua memória, Alleyne decide juntar-se a Rachel e suas amigas na busca ao dinheiro perdido. Então, eles voltam para a Inglaterra, onde Rachel vai enganar seu tio distante e convencê-lo de que é casada com um bom cavalheiro, o Sr. Jonathan Smith que, aliás, é Alleyne, e assim tomar posse de sua herança. Uma vez na posse das joias que sua mãe deixou, Rachel pode vender algumas delas e financiar a perseguição ao “Reverendo”.

Mas quando eles chegam à propriedade desse tio, as coisas ficam um pouco complicadas, Alleyne e Rachel são obrigados há passar mais tempo juntos do que planejaram. Fingir serem felizes recém-casados ​​apaixonados por um mês tem seu preço, não é? E o que acontecerá quando Alleyne recuperar sua memória? Ele voltará a ser o altivo Lord Alleyne Bedwyn e esquecerá o grupo de inadequados que conheceu em Bruxelas?

Eu me apaixonei perdidamente por Alleyne e Rachel. Eles são excelentes juntos, e eu consegui ver facilmente por que eles se apaixonaram um pelo outro. Havia um pequeno mal-entendido no início de seu relacionamento, e Alleyne estava ciente disso e que poderia ter sido resolvido antes, mas não era ruim o suficiente para arruinar o progresso da história. Na verdade, entendi por que ele escolheu manter seu silêncio e deixar Rachel manter seu engano a cerca de seus sentimentos, foi o meio que ele encontrou para resistir a sua atração por ela.

Também amei o relacionamento de Rachel com seu tio e seus amigos, essas quatro mulheres são personagens fantásticas e me fizeram rir o livro todo, Flossie Streat, Geraldine Ness, Phyllis Leavey e Bridget Clover, a última foi ama de Rachel por seis anos na juventude. Elas são prostitutas e têm dirigido um bordel nos últimos quatro anos, economizando dinheiro para que pudessem retornar à Inglaterra e se aposentar. Essas quatro senhoras eram incrivelmente agradáveis ​​e de bom coração.

Quanto ao enredo, eu estava aceitando bem a amnésia e a decepção do início, mas eles duraram um pouco demais. Fiquei realmente nervosa perto do final da história, mas confiei na autora para transformar meus medos em suspiros e não me decepcionei!

Fiquei bastante receosa com uso repetido autora dos mesmos dispositivos de enredo: falsos rompimentos; neste caso, ela passa por um falso noivado e um casamento falso (me pergunta se mais alguém notou que há sempre um lago com uma pequena ilha em que os personagens principais se encaminham e fazem amor?!?). Porém só confirmei que Mary Balogh é uma escritora tão boa que é capaz de ter sucesso em todas as formas de narrativa que se propõe a escrever, sua escrita é boa, seus personagens tem uma química fantástica e a construção de seus personagens é muito bem feita.

Adorei a experiência de ler sobre um Bedwyn que não tão arrogante, mas sim possui um sorriso fácil e é bem-humorado. Alleyne definitivamente muda o modo como o enxergamos nos outros livros,um pouco superficial e sem rumo, e ele está completamente transformado no final do livro,onde se mostra responsável e com um sentido de propósito. Achei que o desenvolvimento dele foi verdadeiro e bem escrito. Rachel é uma grande protagonista e vemos mais uma mudança aqui, ela que salva o protagonista e não o costumeiro inverso, ela é uma jovem forte, que passou por uma infância e juventude dolorosas, mas é trabalhadora e tenta ser positiva. Eu gostei especialmente de que ela fosse amiga do maravilhoso quarteto de prostitutas e ainda ter sido ferrenhamente protegida por elas, Rachel se recusa a olhar para elas somente por sua profissão e isso só a torna mais humana aos olhos do leitor.

Com uma fórmula já conhecida, Mary Balogh nos mostra que ainda é capaz dos nos surpreender e o mais importante, de nos envolver em uma bela história de amor.

 

 

 

 

 

Bianca Benitez height=

Quem Escreve

Bianca Benitez 39 anos,técnica de enfermagem,militar,mãe e faz malabarismo para ler no intervalo disso tudo.Apaixonada por Outlander,Romances de época e históricos,Young Adult , Literatura érótica, e chick Lit.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *