Back to top

[Resenha] Kurt Seyit & Shura de Nermin Bezmen !!!

 

Edição: 1
Editora: Pedrazul
ISBN: 9789759535858
Ano: 2017
Páginas: 576
Tradutor: Feyza Howel e Maria Aparecida Mello Fonte

 

 

O livro que inspirou uma fascinante série de TV, agora exibida pela Netflix, e que continua a encantar milhões de telespectadores no mundo todo.

Um best-seller instantâneo desde o seu lançamento em 1992, o romance Kurt Seyit & Shura, de Nermin Bezmen, é um clássico da literatura turca contemporânea, um drama romântico que tem como cenário a decadência do Império Russo e a Primeira Guerra Mundial. Bezmen nos conta a história de um casal que vive um amor proibido à medida foge da onda de devastação causada pela Revolução Bolchevique. Neta de Kurt Seyit, O Lobo, um dos amantes que procurou refúgio no já enfraquecido Império Otomano, a autora relata a história real até então traduzida para doze línguas.
Kurt Seyit é o filho de um nobre abastado da Criméia é um elegante primeiro tenente da Guarda Imperial. Ferido no front dos Cárpatos e, mais tarde, procurado pelos bolcheviques, ele faz uma fuga ousada através do Mar Negro. Orgulhoso para aceitar o pagamento por um carregamento de armas que ele entrega aos nacionalistas, Seyit enfrenta anos de luta para começar uma nova vida na República Turca que surge das cinzas do Império Otomano decadente. Tudo o que ele tem é a sua dignidade e o seu amor.
Shura é a linda e inocente menina, encantada pela música de Tchaikovsky e pelas luzes brilhantes de Moscou, que se apaixona por Seyit quando tem apenas quinze anos. Uma vítima em potencial na mira dos bolcheviques devido à riqueza e a posição social de sua família, ela está determinada a seguir seu coração e acompanhar Seyit na sua perigosa fuga pelo Mar Negro.

Adicione aos seus desejados no Skoob 

Adquira o seu: Editora Pedrazul

 

Impressões

Duas pessoas diferentes. Ele, um jovem encantador que tem a mulher que quer em sua cama. Ela, uma alma romântica, que ama Tchaikovsky e se emociona toda vez que escuta sua música. Um olhar, uma dança e o amor nasce. Um amor que vai fazer você chorar, sofrer, mas também vai te arrebatar.

A história acontece nos anos da Rússia czarista e no momento em que o Império Otomano emprega sua política expansionista. Kurt Seyit é perseguido pelos bolcheviques e forçado a fugir para outro continente, Shura abandona tudo para seguir com ele. Longe de casa e de seus entes queridos, são confrontados com a pobreza, perda, ódio e nostalgia. Lutando diariamente com seus próprios sofrimentos pessoais, mas também com as lembranças do que deixaram para trás, eles tentam seguir em frente em um ambiente hostil. Será que o amor sobrenatural que sentem será suficiente para mantê-los juntos?

A autora Nermin Behmed, através de seu livro nos conta a história de seu avô de Kurt Seyit e seu amor por Shura. Uma história escrita sobre os acontecimentos históricos de uma época, seus preconceitos e idéias. Com a sua forma quase lírica, ela narra uma história de amor e paixão que não deixará nenhum leitor com os sentimentos intactos. Dois personagens dinâmicos e um sentimento tão poderoso, mas também dividido, que nos guia pelos eventos da época. Dos palácios russos, à vida militar, à Revolução de outubro, mas também à campanha na Criméia para terminar em Constantinopla.

O amor dos protagonistas não é alicerçado com pétalas de rosa. Eles lutam diariamente por esse sentimento, tendo que lidar não apenas com as dificuldades que surgem, mas também com as diferenças de caráter. Os dois deixaram tudo para trás, estão enfrentando todos os dias a sensação de perda, a saudade e as incertezas. Seu amor é testado pelos golpes do destino, suas fraquezas são expostas, atraindo e afastando os dois.

Os fatos na história tecem um enredo rápido e alternativo, dramático, eu diria, com diálogos emocionais, mas também realistas. A iconografia forte e animada, as descrições documentais e as mudanças emocionais não só não deixam o leitor ficar distante dos desenvolvimentos, mas o mantêm em contato com a realidade e o impulsionam a seguir. A história coexiste harmoniosamente com a tradição e o amor, compondo assim um livro que permanecerá inesquecível para todos que o lerem.

Uma narrativa intensa, sofrida e emocionante, onde muitos podem afirmar que não vale à pena conhecê-la já que é de conhecimento geral o futuro dos protagonistas, porém os que pensam assim perderão a chance de acompanhar a incrível jornada  dessas duas pessoas que mergulharam em um amor maior do que a razão é capaz de explicar em um momento em que tudo à volta era desfavorável a eles.

Kurt Seyit não é um personagem muito fácil de amar da metade da trama em diante, ele era correto em muitos aspectos de sua vida, mas não com a mulher que amava, porém como fez autora, devemos retirar todo o julgamento, e assim enxergar um homem perdido, longe de sua terra natal, suas raízes, preso ao passado e sem saber sobre sua família, um homem que tem como ligação a tudo o que lhe é mais caro a mulher ao seu lado, que é a única que o conhece como ele realmente é, e isso é ao mesmo tempo um alívio e um tormento.

Shura é a protagonista que mais amo em muito tempo, uma mulher ímpar, que apesar da juventude toma decisões de forma madura e convive com as conseqüências, uma mulher que em meio ao mais completo caos se dedica ao homem que ama, o apóia, o segue, o ajuda a crescer e permanece ao seu lado mesmo quando tudo o mais está desmoronando. Eu a admiro por suas atitudes sejam elas para seguir em frente, ou quando ela percebe que é preciso recuar. Não sei se já me deparei com muitas personagens femininas como ela, considerando o fato dela ser real, ser uma mulher que segue o seu coração e o que quer em 1916, uma jovem que enfrenta uma família muçulmana conservadora e que não hesita em atravessar mares quando é isso que seu coração pede e apesar de sua inocência possui uma firmeza de caráter singular.

Inocência e coragem/amor e entrega/dor e desencontros/traição e decepção, esses são alguns dos elementos presentes de forma intensa em uma narrativa que documenta a luta de um casal em meio a fatos importantes da história. O livro nos dá detalhes preciosos que a série exibida no Netflix,embora seja fabulosa,não nos fornece.

São muitos motivos para embarcar nessa viagem ao passado com a autora e não há nenhum tipo de arrependimento ou decepção no final dela, somente amor e um pouquinho de dor por essas duas pessoas tão espetaculares.

Às vezes a vida não tem o fim que sonhamos quase nunca ela termina como um conto de fadas, porém ainda há beleza nela para ser apreciada.

Preciso ainda externar meu desejo de ver Kurt Seyt & Murka  e Shura publicados aqui no Brasil. Por favor Pedrazul,precisamos conhecer essas histórias também.

 

 

 

 

 

Bianca Benitez height=

Quem Escreve

Bianca Benitez 39 anos,técnica de enfermagem,militar,mãe e faz malabarismo para ler no intervalo disso tudo.Apaixonada por Outlander,Romances de época e históricos,Young Adult , Literatura erótica, e chick Lit.

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *