Back to top

[Resenha da Rami] Três Coroas Negras de Kendare Blake !!!

Edição: 1
Editora: Globo Alt
ISBN: 9788525060792
Ano: 2017
Páginas: 304

 

 

Três herdeiras da coroa, cada uma com um poder mágico especial. Mirabella é uma elemental, capaz de produzir chamas e tempestades com um estalar de dedos. Katharine é uma envenenadora, com o poder de manipular os venenos mais mortais. E Arsinoe é uma naturalista, que tem a capacidade de fazer florescer a rosa mais vermelha e também controlar o mais feroz dos leões.

Mas para coroar-se rainha, não basta ter nascido na família real. Cada irmã deve lutar por esse posto, no que não é apenas um jogo de ganhar ou perder: é uma batalha de vida ou morte. Na noite em que completam dezesseis anos, a batalha começa.

Adicione aos seus desejados no Skoob

 

Impressões da Rami 

O que? Por que? Como? Quando? Onde? Uai? Como vão conseguir escapar disso?

São essas perguntas que permeiam a história de trigêmeas, que ao nascerem estão predestinadas a lutarem uma contra as outras e somente uma ganhará o posto de rainha. Cada uma das irmãs possui um poder: Arsinoe é naturalista, poder que faz com que ela manipule a natureza e os animais; Katharine é envenenadora, capaz de não ser afetada por nenhum veneno é manipulá-los bem; e Mirabella é elemental, controladora de elementos da natureza. Mirabella é a mais forte e a que todos apostam como futura rainha, tirando o poder das rainhas envenenadoras das últimas gerações.

No início somos transportados a um mundo desconhecido onde não é dado maiores explicações desse mundo fantasioso. Mas é durante os treinos das irmãs e dia-a-dia, que vamos nos envolvendo e entendendo esse mundo e as pessoas que as cercam.

Correndo contra o tempo, pois no Festival Beltane elas devem demonstrar o desenvolvimento de seu poder, as duas irmãs mais fracas buscam de todas as formas alcançarem o máximo de seus potenciais, e a mais forte, se convencer que deve lutar e matar suas irmãs, porque se não forem elas, será ela.

Ao longo da narrativa, mesmo que elas já estejam com dezesseis anos, a idade de participarem do festival e de lutarem para se tornarem rainha, vemos suas vidas do nascimento ao momento decorrido na narrativa. Vemos seus medos, fracassos, acertos e o desenvolvimento de seus poderes.

A narrativa em terceira pessoa, mas com capítulos alternados no ponto de vista de cada uma, nos dá uma maior dimensão da história, do mundo fantástico que se passa a história e nos transforma em torcedores de um lado ou como meu caso, das três. E no meio do livro não sabemos como reagir ou qual lado tomar, pois estamos entre a cruz e a espada e os questionamentos (que iniciei a resenha) são nítidos e que saltam das páginas.

O desenvolvimento final do livro foi digno de muitos parabéns a autora, pois garanto que ninguém esperava ou esperará. E para minha sorte, o livro dois também estava comigo, pois é tanta bomba em cima de bomba que para acalmar os nervos só continuando a leitura desse enredo em Um Trono Negro.

Kendare Blake criou um universo fantástico e um enredo fascinante. Apesar de o começo estarmos perdidos e um ritmo mais lento, conforme se desenvolve, as páginas são poucas para conter o universo e mitologia que foram criados. Recomendo a leitura e já adianto que é melhor ter o segundo em mãos, porque uma vez lido, a chance de querer devorar a sequência é como um veneno e seu antídoto, a ligação homem-natureza-elementos.

E quem será por fim coroada a Rainha de Fernnbirn?

 

 

Desde pequena devoradora de tudo que combine as 26 letras do alfabeto, cursando Letras , e no meio disso tudo, ama aprender novas línguas, apaixonada por dormir e cultura coreana.

 

 

 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *