Back to top

[Resenha da Rami] O Silêncio das Águas de Brittainy C. Cherry !!!

Série Elementos #3

 

Edição: 1
Editora: Record
ISBN: 9788501109644
Ano: 2017
Páginas: 364

 

 

 

 

Quando a pequena Maggie May presencia uma cena terrível à margem de um rio, sua vida muda por completo. A menina alegre que vive saltitando de um lado para o outro e tem uma paixonite por Brooks Griffin, o melhor amigo de seu irmão, sofre um trauma tão grande que acaba perdendo a voz. Sem saber como lidar com o problema, sua família se vê em uma posição difícil e tenta procurar ajuda, mas nenhum tratamento vai adiante. Ao longo dos anos, Maggie aprende sozinha a conviver com os ataques de pânico e, sem conseguir sair de casa, encontra refúgio nos livros. A única pessoa capaz de compreendê-la é Brooks, que permanece sempre ao seu lado. A cumplicidade na infância se transforma em amizade na adolescência, até que um dia eles não conseguem mais negar o amor que sentem um pelo outro. Mas será que o forte sentimento que os une poderá resistir aos fantasmas do passado e a um acontecimento inesperado, que os forçará a navegar por caminhos diferentes?

Adicione aos seus desejados no Skoob

Adquira o seu : Submarino | Travessa | The Gift Box 

 

 

Impressões da Rami

Melhor livro da série!

Maggie presenciou um crime quando pequena e desde então ela não sai de casa e nem fala. O trabalho ficou tão impregnado nela, que a garotinha que falava e era alegre, se torna reclusa e quieta. Brooks, amigo de infância, apesar de se irritar tanto com ela, é a única pessoa que a compreende e está ali sempre por ela. E é no decorrer de uma juventude que ambos se descobrem apaixonados.

Mas Brittainy não é uma das escritoras musas das torturas se esse enredo fosse só esse enredo.

O Silêncio das Águas tem o enredo mais dramático dos três que já li. Eu me peguei chorando e xingando a autora perto do meio e só parei quando eu li os agradecimentos.

Apesar de Maggie não sair de casa e não falar, a relação dela com Brooks é linda a ponto de não precisar de palavras para que ele a compreenda, se bobear, melhor do que ela mesma. Brooks é aquele goodboy que a gente precisa ter em casa: lindo, inteligente, engraçado, carismático e que cuida daqueles que ama, pois vê os atos como mais importantes do que falar que ama.

Outra relação linda que vemos aqui é a de Maggie com seu pai. Essa relação pai e filha me arrancou suspiros. O pai foi um dos que mais sofreu com o trauma da menina, mas apesar de demorar anos para que Maggie melhorasse ou só a ideia disso, ele tinha paciência e demonstrava a todo instante que esperaria até que a filha tivesse pronta. Na casa, sem dúvidas, ele era o outro porto seguro dela.

Além de como o romance é construído, a relação da Maggie com sua irmã e pra mim o ponto alto do livro. A irmã passa por três fases: a criança boa, a adolescente quero-dar-na-cara e vemos a sua mudança quase palpável quando ela se dá conta do mundo injusto que vivemos, principalmente as mulheres.

O que me arrancou mais suspiros foi como a presença de títulos e enredos de outros livros foram importantes para a história e para as personagens. É através de livros que muitas relações são firmadas, situações são refletidas, e decisões tomadas. Amei essa metalinguagem dentro da história, afinal, nós leitores, criamos muitos laços com pessoas através de livros e refletimos muitas vezes sobre tantos assuntos ao nos depararmos com o tema nas páginas de um livro. Ao fim do livro eu tinha uma listinha de livros para ler e uns surtos com tantos que li. E a vontade foi ser amiga da Maggie pra gente trocar post its.

O desenvolvimento da história de amor entre os protagonistas me arrancou lágrimas e mais lágrimas, um ódio pela C. Cherry e a vontade de ler o final logo para ver se teria um final feliz, pois as águas, essas benditas e volúveis, foi o maior empecilho na vida do casal. Quando pensava que agora tudo ia dar certo, as águas apareciam e silenciavam o amor dos dois, que era óbvio para eles, para todos e para mim.

Quem já leu outros livros da Brittainy, vai amar este. Aqui temos dramas, boas cenas e diálogos, uma narrativa de acabar com o emocional e um surto com certo Shakespeare de outro livro dela (qd vi eu surtei de alegria).

O Silêncio das Águas vem para provar que Brittainy C. Cherry é sem dúvidas um dos maiores nomes de NA. O Silêncio das Águas vem pra provar que sim, é meu gênero favorito mesmo sofrendo horrores. O Silêncio das Águas veio mostrar o quão não preparada eu estava para me despedir do livro.

Sem dúvidas o melhor livro da série. Talvez porque foi o livro da série que mais abalou meu forninho.

Não há resenha que fará jus a esse enredo e só me resta recomendar. O leitor pode até não ficar silencioso durante a leitura, mas mesmo assim O Silêncio das Águas vem para nos calar e nos emocionar.

 

 

PS: Melhor capa da série sim!

PS2: Tá na hora da autora voltar para terras tupiniquins, Record!

PS3 : A autora estará no Brasil em Dezembro no evento The Gift Box Day  com edições no Rio de Janeiro e em  São Paulo   !!!!

 

 

 

 

 

 

Desde pequena devoradora de tudo que combine as 26 letras do alfabeto, cursando Letras , e no meio disso tudo, ama aprender novas línguas, apaixonada por dormir e cultura coreana.

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *