Back to top

[Resenha da Rami] A Rebelde do Deserto de Alwyn Hamilton !!!

A Rebelde do Deserto # 1

Edição: 1
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765992
Ano: 2016
Páginas: 283
Tradutor: Eric Novello

 

 

O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher.

Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele.

Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.

Adicione aos seus desejados no Skoob

 

Impressões da Rami 

Amo fantasias e amo quando a história é única e com uma mitologia exclusiva. E esse livro é assim que li as páginas em horas.

 

A Rebelde do Deserto conta a história de Amani, uma garota que foi morar com os tios após a morte da mãe. Seus tios, assim como seus primos, não gostam dela e seu tio, aproveitando da presença mostra interesse em torná-la mais uma de suas inúmeras esposas. Tudo que ela quer é liberdade e ir para Izman, onde encontraria a irmã de sua mãe e viveria nessa terra onde mana leite e mel, conforme as cartas que a mãe recebia desta tia quando menina.

Só que para escapar da cidade onde as minas de ferro do sultão era o único motivo que colocava a Vila da Poeira no mapa do país, ela precisava de dinheiro. Se transformando em homem, já que como mulher limitava o que podia fazer, ela vai até uma arena na cidade vizinha e entra na competição de tiro. E lá conhece Jin, que horas depois vai ser procurado pelo exército do sultão por traição e é quando sua aventura no deserto de Mirajicomeça.

Vista como ameaça e também rebelde, com a ajuda de Jin, mais experiente que ela e conhecedor das terras, vão vivendo as margens para chegar onde devem.

Mas não é apenas os humanos que atrapalham a jornada. E a mitologia que a autora criou se mostra incrível. Há criaturas perfeitas e boas, e há filhos da deusa do submundo, maus. E o deserto esconde essas armadilhas malignas. Mas o deserto também foi a casa de Amani por quase dezessete anos e ela tem uma ótima pontaria, oriundas das fugas escondidas da casa de seus tios para praticar, visando defesa e fuga.

Fugir e chegar em Izman era parte do único plano dela, mas o que fazer quando o único plano que você tem é jogado por terra, um exército inimigo está atrás de você e ser esposa e mãe não é seu desejo?

A Rebelde do Deserto é sobre uma garota que precisa se encontrar quando tudo que ela conhecia não passa de um passado. É sobre uma mulher que ao mesmo tempo em que está perdida sabe a única coisa que quer: ter o domínio sobre sua própria vida.

O livro tem uma escrita que flui. Não há dúvidas e nem furos nesse mundo novo criado. A autora cria um ritmo de tirar o fôlego do leitor e a única forma de respirar é lendo o acontecimento seguinte, mergulhar nesse mundo fantástico e deixar se levar nessa aventura junto com a protagonista.

Há de tudo. Ação, aventura, uma mitologia que tende ao suspense e romance, este último, claro, não sendo o foco do livro. As cenas são sob medida. Não se arrastam, porém também não dão rápidas demais. E o melhor: entrar nesse mundo te transporta para um mundo irreal, mas que ao mesmo tempo te faz refletir sobre o nosso mundo. Nas entrelinhas podemos ver a crítica às diferenças e preconceitos que alguns grupos e gêneros ainda tem

A pior parte do livro com certeza foi o último parágrafo, pois a vontade de ler mais e saber o que aguarda Amani e os amigos que ela fez durante a jornada é bem maior que a sensação de prazer que uma boa leitura acarreta. A gente fecha o livro já correndo para iniciar mais uma aventura na continuação.Sem dúvidas uma das melhores leituras no universo fantástico. E se fosse você, deixava de lado a rebeldia e me rendia á Rebelde do Deserto.

 

 

 

Desde pequena devoradora de tudo que combine as 26 letras do alfabeto, cursando Letras , e no meio disso tudo, ama aprender novas línguas, apaixonada por dormir e cultura coreana.

 

 

 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *