Trilogia Irmãs Cynster

Edição: 1
Editora: HarperCollins Brasil
ISBN: 8539822393
Ano: 2016
Páginas: 368

Sinopse

Londres, 1829. Decidida a escolher seu próprio herói, um que a deixe completamente extasiada e pronta para a felicidade conjugal, Heather Cynster declina convites para os bailes conservadores da aristocracia londrina e busca aventuras fora de seu círculo social. Ao ultrapassar as fronteiras de seu mundo seguro e comparecer a um sarau oferecido por uma dama de reputação duvidosa, Heather acaba entrando na cova de leões. Mas seus planos de independência são arruinados quando encontra, no meio do salão, o enervante Visconde Breckenridge. Amigo dos Cynster e, principalmente, dos irmãos de Heather, ele a toma pelo braço e a leva até a carruagem. Mas seus esforços são inúteis. A poucos metros de entrar no carro, Heather é interceptada e sequestrada por inimigos ocultos que buscam vingança contra os Cynster. Agora, o arrojado Visconde terá de provar que é realmente o herói que Heather tanto almeja… Escrito com maestria, paixão e toques de humor, Conquistada por um visconde é uma trama inesquecível, que deixará o leitor querendo mais após a última página. Composta por Stephanie Laurens, considerada a sucessora de Georgette Heyer e a principal referência de muitas escritoras de sucesso, seus romances têm como cenário a alta sociedade de Londres do período regencial. Conquistada por um visconde é a escolha certa para os fãs de narrativas cujos personagens são damas audaciosas arrebatadas por nobres sedutores.

Adicione aos seus desejados no Skoob

 

Impressões

A premissa inicial (o rapto por razões ocultas realizadas por um nobre misterioso) era promissora. Mas o desenvolvimento da trama deixou um pouco a desejar, o livro não é uma decepção completa e antes que vocês parem de ler essa resenha achando que eu odiei a trama como um todo, vou esmiuçar meus sentimentos em relação a ela.

Conquistada por um Visconde é o primeiro livro da trilogia, contudo é o romance de número 16 da Série Cynster escritos pela autora australiana Stephanie Laurens. Se você não leu os livros anteriores, não se preocupe você pode facilmente começar por este, até porque nenhum dos outros livros foi lançado pela editora aqui no Brasil.

O livro começou rápido e capturou minha atenção. Os primeiros capítulos me deixaram vidrada nele. Heather foi raptada em uma festa em Londres por dois homens desconhecidos, mas havia uma dama de companhia para cuidar dela, então, tecnicamente os sequestradores estavam cuidando bem dela e continuam agradáveis por todo o tempo em que estão com ela. No entanto, quando Heather descobre que os sequestradores queriam apenas uma “filha Cynster” e não ela especificamente acha que é melhor ficar em poder dos bandidos para tentar extrair informações sobre o vilão que está por trás do esquema, a fim de proteger seus irmãos. O Visconde de Breckenridge que presenciou o rapto vai atrás dela para resgatá-la, mas Heather lhe diz que não pode fugir sem saber quem quer fazer mal a sua família.

Heather é obstinada, teimosa e só se casará por amor, este é o motivo para ter vinte e cinco anos e ainda estar solteira. Breckenbridge é um lorde pouco disposto a admitir que realmente tenha sentimentos. Ele evidentemente tem suas razões para ser cauteloso, mas eles não são explicados ao leitor. E eu fiquei entediada por ser lembrada a todo instante que ele é o senhor dos libertinos.

Os protagonistas se detestam, ele acha que ela é muito jovem para ele (há uma diferença de 10 anos em suas idades) e mantém distância por conta disso, ela acha que ele a considera uma criança e, por conseguinte inferior, o que a enfurece profundamente. Depois que Heather o impede de salvá-la do cativeiro, Breckenridge a segue, vigiando todos os seus passos. Se para você isso soa como uma desculpa frágil para a trama, você tem razão. Dada à quantidade de tempo que Heather gasta com os sequestradores, ela realmente descobre muito pouco sobre eles e mesmo quando ela o faz, são somente fragmentos em conversas breves, só que ela fica DIAS com eles e isso me irritou um pouco. A personagem não fica assustada ou de forma alguma traumatizada – Esse parece ser o sequestro mais patético da história.

O livro começou muito bem e eu não conseguia parar de ler, mas os dias foram passando, eu virava as páginas e nada empolgante acontecia,nada se resolvia ou era descoberto e acabei desanimando. E então, quando Heather finalmente fica livre, o enredo piorou de vez, de repente, todos estão seguros e os protagonistas podem assumir e se dedicar ao que sentem um pelo outro e nada mais importa.

Os pontos positivos da história são as personalidades dos protagonistas, que são fortes e cativantes, mesmo que Heather seja enfadonha por conta da sua obstinação exagerada em alguns momentos, e o ponto alto da trama é quando o estoico visconde encontra coragem para admitir o seu amor por Heather. Outro ponto interessante é o antagonista misterioso, que continua desconhecido e a vontade desvendar esse mistério me fará ler o segundo livro da trilogia.

Indico o livro aos fãs de romances históricos, pois mesmo com vários pontos negativos a história se passa em uma época que amamos com personagens que nos envolvem mesmo que a trama não o faça.

 

Recebido em parceria pontual com a

 

 

 

 

Bianca Benitez height=

Quem Escreve

Bianca Benitez 38 anos,técnica de enfermagem,mãe e faz malabarismo para ler no intervalo disso tudo.Apaixonada por Outlander,Literatura Clássica Inglesa,Lutadores de MMA,literatura erótica,romances de época, romances históricos e chick Lit.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Editoras parceiras

Romance Histórico na Amazon
PageRank