Back to top

[Resenha] Cartas para uma Falsa Dama de Carol Townend !!!

Edição: 1
Editora: Harlequin Books
ISBN: 9788539823659
Ano: 2017
Páginas: 295

 

 

 

Ainda recém-casado, o conde Tristan deixou sua esposa para defender o ducado da Bretanha. Dois anos se passaram desde a última vez que Francesca vira o belo rosto do marido. Durante todo esse tempo, ela escreveu incessantemente para Tristan, mas não recebeu resposta. Nem mesmo após descobrir que não era a filha verdadeira do conde Myrrdin. Aflita, ela esperava receber o pedido de anulação do casamento a qualquer momento. Porém, quando Tristan retorna, Francesca percebe que não é a única assombrada por segredos do passado.

Adicione aos seus desejados no Skoob

 

Impressões

Eu costumava ler muitos romances medievais, mas por algum motivo não tenho lido muitos ultimamente, essa foi uma das razões pelas quais eu decidi ler o livro de Carol Townend.

Em Cartas para uma Falsa Dama conhecemos a história de Francesca, que descobriu, há pouco tempo que não era a verdadeira filha do conde Myrrdin e embora ainda seja casada com Tristan, ele está sumido desde que foi chamado para dominar os rebeldes da Bretanha. Uma dama em sérios apuros não é mesmo?

Um casal distanciado pelas circunstâncias, uma protagonista que é insegura e não sabe onde é o seu lugar, um protagonista masculino que está acostumado a manter muitos segredos e um vilão que não se mostra muito inteligente ou ameaçador, esses são os elementos principais dessa narrativa.

Francesca e Tristan estão casados a mais ou menos um ano quando ele é convocado para defender o ducado da Bretanha. São tempos difíceis para o ducado, que está sob ameaça tanto da França como da Inglaterra e como um dos seus principais cavaleiros, a presença de Tristan é necessária para desempenhar um papel fundamental na rebelião e para ajudar a manter a paz.

Tristan planejava ficar distante de sua esposa por somente um mês ou dois, mas por estar tão envolvido nos conflitos essa separação acaba se estendendo por dois anos. Ele foi enviado para a Inglaterra em uma missão e quando retorna, a política continua a mantê-lo longe de casa. Durante esse tempo, Francesca, que acreditava ser a filha de um nobre, descobre que foi trocada após o seqüestro da verdadeira herdeira e não tem nenhuma pista sobre quem realmente seja. Enquanto Lady Clara trata Francesca com cortesia e gentileza, a protagonista fica horrorizada com o pensamento de que se casou com Tristan sob falsa identidade e deixa Fontaine porque se sente inadequada e indigna de permanecer por lá. Quando, durante o período de ausência de seu marido, ele não responde a nenhuma das suas cartas, ela se convence cada vez mais de que ele se arrepende do casamento e deseja que ele seja anulado.

Tristan finalmente volta para Francesca, porém ele chega com a triste notícia de que o homem que ela considerava seu pai está no leito de morte e pediu para vê-la. Tristan está irritado, inseguro e desconfiado, pois sua esposa não mora mais onde ele a deixou, nunca escreveu para ele e em seu entendimento, todos esses fatos são indicativos que o relacionamento deles acabou.

A primeira parte do livro é basicamente com os protagonistas divagando sobre a vontade e motivos para o outro querer a anulação do casamento, mas sem que nenhum eles diga algo ao outro. Eu consigo compreender que a distância e a falta de contato entre eles durante dois anos é o fator determinante deles não se conhecerem muito bem e estarem tão inseguros em relação ao casamento, o fato da convivência por apenas um ano antes de Tristan ir embora, também não ajudou, mas não posso negar que a repetição contínua de suas conjecturas sobre o que aconteceu e o que aconteceria com eles foi um pouco cansativo. Nenhuma palavra foi dita por Tristan e Francesca em relação ao que eles pensavam ou sentiam.

Felizmente, no entanto, uma vez que embarcam em sua jornada de volta para a Bretanha, as coisas melhoram, e Francesca e Tristan começam a conversar um pouco . Eles descobrem que suas cartas não chegaram aos destinos, e Francesca aborda o assunto de sua recém descoberta falta de nobreza (e dote) e pressupõe que Tristan certamente irá desejar uma esposa que possa trazer algo mais para seu casamento do que apenas uma linhagem incerta. Mas Tristan insiste que ele não quer outra esposa e está mais do que um pouco surpreso com a força de seu desejo de manter Francesca com ele.

Francesca, no entanto, permanece receosa. Ela percebeu que seu marido está muito diferente e que se quiserem ter uma vida juntos, tudo será que ser diferente. Tristan é um homem que costumava comandar e percebe que, se não houver confiança entre eles, sua atração mútua e o prazer em seu relacionamento físico não serão suficientes para sustentar um casamento.

Como eu disse no início da resenha, há elementos interessantes para na narrativa, mas o livro como um todo não consegue fazer uma ligação satisfatória entre eles, e foi um pouco difícil manter a leitura. Eu sou fã de romances com segundas chances e reencontros, porém a incerteza em torno da relação central nublou um pouco uma história que poderia ser incrível.

Ainda assim acho que a leitura vale a pena por todos os cenários criados pela autora, pela profundidade dos personagens e por todo o caminho que eles percorrem para se reencontrarem.

 

 

 

 

Bianca Benitez height=

Quem Escreve

Bianca Benitez 39 anos,técnica de enfermagem,militar,mãe e faz malabarismo para ler no intervalo disso tudo.Apaixonada por Outlander,Romances de época e históricos,Young Adult , Literatura erótica, e chick Lit.

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *