Back to top

[Resenha ] A Rosa e a Adaga de Renée Ahdieh !!!


 

A Fúria e a Aurora #2

Edição: 1
Editora: Globo Alt
ISBN: 9788525060365
Ano: 2017
Páginas: 364

Sinopse

Inspirada nos clássicos contos do livro As mil e uma noites, produzidos entre os séculos XII e XVI, Renée Ahdieh criou uma história que conquistou leitores e chegou ao topo da lista de best-sellers do New York Times. A rosa e a adaga conclui o enredo de romantismo, traição, intrigas e mistério iniciado em A fúria e a aurora.

A jovem Sherazade chegou a acreditar que seu marido, Khalid, o califa de Khorasan, fosse um monstro. Mas por trás de seus segredos, ela descobriu um homem amável, atormentado pela culpa e por uma terrível maldição, que agora pode mantê-los separados para sempre. Refugiada no deserto com sua família e seu antigo amor, Tariq, ela concentra forças para quebrar a maldição e voltar a viver com seu verdadeiro amor.

Com uma narrativa envolvente e repleta de referências à cultura árabe, a autora desenvolve um universo de intriga política, magia negra e relações complexas. Os personagens, que em A fúria e a aurora já haviam conquistado o coração dos leitores, tornam-se ainda mais marcantes, profundos e sedutores.

Adicione aos seus desejados no Skoob

Adquira o seu : Amazon | Saraiva  |

 

 

 

 

Impressões

A essência mais rara da rosa vive nos espinhos.

Eu gostei muito deste livro, apesar do início um pouco mais lento e a falta que a presença de Khalid me fez nesse começo, eu fiquei tão ou mais encantada do que com o primeiro livro. E eu acho que você deveria saber disso, embora existam muitos elementos de fantasia e ação, ele gira em torno principalmente do romance. Uma conclusão muito digna desta história mágica e deslumbrante.

A Rosa e a Adaga nos traz um final requintado, soberbo, gratificante e inteligente para a trama que se iniciou em A Fúria e a Aurora. Esse é um daqueles livros que vai te deixar sem palavras devido a sua intensidade, ele vai esmagar seu coração um pouco a cada página e você vai adorar isso e definitivamente vai se tornar um viciado em sua linda prosa. Mas sua verdadeira beleza reside no fato de que, de alguma forma, você acolhe tudo o que acontece de forma natural, com o coração aberto.

Se você não gosta muito de ler romances, espere. Sério. Se o início da resenha lhe deu a impressão de que a história é somente sobre o amor, reconsidere e continue a ler, pois realmente o romance é o que torna esse livro incrível, mas o caráter dominante dos personagens, sua profundidade, tudo o que eles fazem por aqueles que amam é inspirador e gostoso demais de acompanhar e claro, estão presentes muitos elementos de magia, política, auto descoberta, mas a   essência é o poder do amor.

Havia duas coisas igualmente incríveis que me fizeram adorar a história. Primeiro, há o fato de que, graças aos pontos de vista múltiplos, a trama não gira em torno somente do amor sonhador de Khalid e Shazi. Não. Surpreendentemente, é também sobre Rahim e Irsa. E, claro, Jalal e Despina. Todos os três relacionamentos maravilhosamente desenvolvidos, feitos com a intenção de derreter seu coração.

Em segundo lugar, há certo aspecto detonador no foco da trama, que são mulheres empoderadas, fortes, e elas são ainda muito jovens. A verdade é que, neste universo, as mulheres são colocadas em um pedestal de ouro. Elas são reverenciadas, respeitadas e tratadas como rainhas. São muitas as mulheres que tem um papel determinante na trama, começando com a morte da mãe de Khalid que o mudou para sempre, então a maldição cruel desvendada por causa de uma mulher, 100 mulheres condenadas à morte e uma guerra assustadora que começa por causa de uma mulher, o enredo evoluiu graças a essas personagens gloriosas e então elas se tornaram o eixo do mundo e as meninas continuarão a participar do legado no que vem a seguir.

Sherazade é incrivelmente maravilhosa, com sua personalidade inspiradora e determinação infinita, ainda teimosa e impulsiva e agora precisa lidar ainda com a magia, mas ela amadureceu muito. A doce Irsa, com sua perspectiva justa sobre vida e coração amável, Despina, com sua mente astuta. E mesmo Yasmine, que completou o conjunto com um comportamento surpreendentemente enfático.

Voltando ao essencial da trama que é o relacionamento de Khalid e Shazi. Estes dois são como imãs, almas gêmeas, do que quer que você queira chamá-los. Há uma cena particular que destruiu meu emocional. Eles estavam lutando para se protegerem diante do perigo iminente e imediato. Eu acho que a narrativa capturou o casal de forma surpreendente e muito real. Khalid não é retratado como um cavaleiro em uma armadura brilhante, assim como Shazi não é descrita como uma donzela em perigo. Longe disso, na verdade. Eles são retratados como deveriam ser, um rei e uma rainha que preferem morrer a ver o seu amado sofrer. Eles são ameaçadores, líderes e terrivelmente lascivos, dominadores por completo.

A Rosa e a Adaga tem a mesma narrativa evocativa e bonita como no primeiro livro, mas foca menos no romance, mas não se preocupe os protagonistas ainda tomam grande parte da trama e vão te fazer suspirar bastante, porém o relacionamento é mais maduro, menos angustiante, mas não menos emocional. O tempo para os flertes acabou – uma maldição deve ser quebrada e um reino deve ser salvo. O livro é empolgante e doloroso, um dos livros mais lindos que li em muito tempo, ele tem de tudo, desde política, movimentos árabes, humor, belas e inspiradoras histórias de amor, ação e emoção, magia e mudanças impactantes nos rumos da trama. Esta história oferece o tipo perfeito de trajetória, com uma grande quantidade de sofrimento, no entanto você vai querer mais, e é isso que o torna o melhor livro que você respeita!!!

Como metades, Khalid completou Shazi de uma maneira real. Um estrategista, engenhoso inteligente e um espadachim aterrorizante, mas este menino-rei ainda é um menino e com uma boa dose de romantismo em suas veias. Intenso, um maldito poeta que poderia transformar cada uma de nós em mulheres completamente apaixonadas por ele bem facilmente e um marido devotado. Este homem adora a esposa e foi surpreendente ver com que facilidade ela pode colocá-lo de joelhos. No entanto, ele se transforma e começa a ter esperança de um futuro brilhante com seu amor, no qual eles estão juntos, com ele saudável e vivo. Ele começa então a lutar por isso, fazendo sacrifícios e passando por cima de seu ego e orgulho colossais para garantir que essa felicidade seja alcançada.

De livros mágicos, tapetes voadores a serpentes gigantes, essa fantasia rica nos leva a um passeio de montanha-russa. Muitos relacionamentos e amizades são testados, desafiados e quebrados quando descobrimos mais sobre a maldição de Khalid e os personagens que achávamos conhecer.

Há muita traição e muitas surpresas ao longo de A Rosa e a Adaga. A escrita flui com uma descrição maravilhosa e as cenas de drama e ação perfeitamente desenvolvidas impulsionam o romance a um ritmo fantástico.

Gostei especialmente da introdução da irmã mais nova de Shazi. Ela é um tipo de personagem muito diferente. Introvertida, não tão confortável com sua própria força e capacidade, mas isso tornou ainda mais satisfatório quando conseguiu superar suas hesitações quando foi necessário. É infinitamente mais impressionante ver uma mulher superar seus medos e decidir ser forte, do que simplesmente nascer desse jeito.

Talvez acima de tudo, adorei a ascensão final do “poder das meninas” no clímax da trama. 1,001 Noites é uma história sexista em sua essência, e eu estava um pouco preocupada com o modo como A Fúria e a Aurora simplesmente a transformou em um romance poderoso. O livro termina de forma a exaltar as mulheres fortes, falhas e complexas da trama.

Renee Ahdieh estabeleceu-se como uma autora completa, original e surpreendente. Havia grande pressão sobre seus ombros devido à popularidade esmagadora e bem merecida do primeiro livro, mas ela não sucumbiu aos nervos para dar aos leitores um livro mediano. Não, ela conseguiu elevar o mundo de Khorasan. Ela consegue cativar seus leitores com personagens bem desenvolvidos, uma trama envolvente e que deixa o leitor quase desfalecido.

 

 

 

 

 

 

 

 

Bianca Benitez height=

Quem Escreve

Bianca Benitez 38 anos,técnica de enfermagem,mãe e faz malabarismo para ler no intervalo disso tudo.Apaixonada por Outlander,romances de época, romances históricos,Young Adult , literatura erótica, e chick Lit.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *