Back to top

Quando Cai o Raio de Meg Cabot – Semana de Resenhas Record #3

quando cai o raio

 

Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501088178
Ano: 2011
Páginas: 272

Sinopse

Mandaram que eu escrevesse um relato, em primeira pessoa, sobre o que aconteceu comigo, falando toda a verdade e nada mais do que a verdade. Então tá. O que aconteceu comigo: fui atingida por um raio. Tudo culpa da Ruth, que resolveu que queria voltar da escola andando, para queimar uns quilinhos… Acabou que eu é quem fui queimada. Ninguém acreditou em mim, nem eu mesma, pra ser sincera. Eu não estava me sentindo mal, não tinha nenhuma marca ou machucado… Nem estava chamuscada! Mas logo as coisas começaram a mudar. Quando acordei no dia seguinte, de alguma forma sabia onde estavam as duas crianças cujas fotos estampavam a caixa de leite, aquelas do Disque-Desaparecidos, sabe? Pois é. Eu tinha certeza absoluta sobre onde elas estavam. O problema é que eu achava que estava fazendo uma coisa boa! Liguei para o Disque-Desaparecidos e avisei à simpática senhorinha onde estavam essas duas crianças, e depois mais outras… Até que dois não-tão-simpáticos agentes federais apareceram na minha escola para conversar comigo. Até parece! Agora sou foragida da justiça, tenho que ajudar um dos meninos que foram encontrados e ainda preciso disfarçar o quanto o motoqueiro da sala de detenção mexe comigo… Ainda bem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar… Certo?

Página no Skoob

 

Impressões por Eliane Teixeira

Meg Cabot nos conta a história de Jéssica, uma adolescente de 16 anos, desencanada que vive com seus pais e irmãos, toca flauta e tem uma melhor amiga chamada Ruth e as duas fazem parte da orquestra da escola.

No começo da leitura pensei que seria mais um livro bobo sobre a menina que se apaixona pelo bad boy da escola, mas no decorrer da narrativa me deparei com uma história leve, engraçada onde por diversas vezes acabei em gargalhadas com as tiradas de Jess, pois ela é uma garota que não liga para a sua aparência  e que não hesita em partir para a briga para defender seus irmãos e amigos, mesmo sendo do tipo mignon ela consegue dar conta das brigas em que se mete e por isso está sempre na detenção, mas ela não conta isso aos pais, para não preocupa-los, ainda mais depois que seu irmão Doug surtou na faculdade e foi diagnosticado como esquizofrênico.

Um dia enquanto volta a pé da escola, começa a chover e ela e Ruth se escondem embaixo da arquibancada no campo de futebol quando é atingida por um raio, ela não dá muita importância ao fato e volta normalmente para casa depois que a chuva acaba, quando vai fazer um lanche e lê a caixa de leite com crianças desaparecidas e nesse momento tudo muda em sua vida.

Meg Cabot é diva em qualquer tipo de história que se propõe a escrever e em Quando Cai o Raio ela soube dosar muito bem os elementos da história, que mesmo com um tema um pouco pesado ela soube deixar a narrativa leve e muito divertida, que prende do início ao fim.

Recomendo o livro a todas as idades e para quem esteja precisando de dar boas gargalhadas.

 

“…tenho tantas semanas de detenção que abri mão completamente de ter uma vida particular. Na verdade é uma pena que “A Detenção” não conte como atividade extracurricular, se contasse, meu currículo estaria bem apresentável para várias faculdades no momento.”

 

 

“Meu único arrependimento sobre tudo isso é que só tenho algumas semanas de aula até as férias, e como a detenção é o único lugar onde posso ver Rob, isso é um problema. Apesar de tudo ainda não consegui convencê-lo de que sair comigo não seria um crime.” 

 

semana de resenhas record

 

Essa resenha faz parte do Projeto Semana de Resenhas Record, e tem como blogs participantes os abaixo relacionados:
maisblog_c6bea18f4e13b8fd9d14a4758ef6d9311346198594

Comentários

  1. Olá Eliane!!! Você e Bianca estão muito má em suas resenhas. Eu nunca li nada de Meg Cabot; eu sei, assumo essa culpa… Mas pelo o que você escreveu eu sinto que vou viciar na autora assim que ler seu primeiro livro. Essa semana de resenhas está uma maravilha, tantos livros bons que a gente tem a oportunidade de conhecer… Quando cai o raio ou ler com certeza. bju
    Eykler

    Reply
  2. Meg é diva… Eu amo os livros dela, até aqueles que todo mundo reclamou (leia Mordida e entenda do que estou falando… rs). Esse livro eu ainda nãi li, mesmo tendo comprado na bienal de 2011, acredita? Agora eu só compro de verdade aquele livro que eu vou ler imediatamente, porque assim não empato dinheiro… BJS!

    Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *