Back to top

Olavo Bilac

                                                            Crédito: Blog Livros e Literatura

A 146 anos nascia Olavo Bilac.

Biografia:

Olavo Bilac nasceu no Rio de Janeiro em 1865, filho de Delfina de Paula e Brás Martins dos Guimarães, médico, que na altura do nascimento do filho era cirurgião do exército brasileiro, servindo na Paraguai.
Depois dos primeiros estudos no Colégio São Francisco de Paula,Olavo Bilac iniciou em 1880 o curso de Medicina (que interrompeu) e o curso de Direito em 1887.

Em 1884 publicou o seu primeiro poema na imprensa, na “Gazeta de Notícias” (jornal carioca) facto que representava toda a glória possível para um candidato a poeta. Era o soneto “A sesta de Nero”, que foi incluído mais tarde no seu primeiro livro “Poesias”, editado em 1888.

Em 1898 foi nomeado inspector do ensino público do Rio de Janeiro.
Reconhecido como grande poeta, tornou-se secretário da Conferência Pan Americana do Rio de Janeiro, em 1906, e secretário do prefeito do Distrito Federal em 1907.

Além de poeta parnasiano, cronista, contista, conferencista e autor de livros didáticos, deixou também na imprensa do tempo do Império e dos primeiros anos da República vasta colaboração humorística e satírica, assinada com os mais variados pseudônimos, entre os quais os de Fantásio, Puck, Flamínio, Belial, Tartarin-Le Songeur, Otávio Vilar, etc., assinando, em outras vezes, o seu próprio nome. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, em que ocupou a cadeira nº. 15, que tem Gonçalves Dias por patrono. No seu principal livro, “Poesias”, incluiu Bilac alguns sonetos satíricos, sob o título de “Os Monstros”. Escreveu livros em colaboração com Coelho Neto, Manuel Bonfim e Guimarães Passos, sendo que, com este último, o volume intitulado “Pimentões”, de versos humorísticos.Olavo Bilac foi uma das mais ricas personalidades da fascinante “bellex époque” à brasileira.
Autor marcado pelo extremo rigor na linguagem e na forma, os seus sonetos são compostos em versos decassílabos perfeitos.
Os temas mais constantes são a beleza feminina e os momentos épicos da história nacional.
A imagem que se criou dele oscila entre o perfil académico de um príncipe dos poetas fiel à estética parnasiana e a aura de poeta popular cantado nas ruas e declamado nas festas.

 Obra:

Dentre outros escritos de Bilac, destacam-se:

Antologia poética
Através do Brasil
Conferências literárias (1906)
Contos Pátrios
Crítica e fantasia (1904)
Crônicas e novelas (1894)
Dicionário de rimas (1913)
Hino à Bandeira
Ironia e piedade, crônicas (1916)
Língua Portuguesa, soneto sobre a língua portuguesa.
Livro de Leitura
Poesias (1888)
Tarde (1919) – Poesia, org. de Alceu Amoroso Lima (1957)
Teatro Infantil
Tratado de Versificação – em colaboração com Guimarães Passos
Tratado de versificação (1910)

Eu nunca li nada deste autor,e você conhece a obra dos principais autores nacionais?!

É hora de mudarmos essa situação….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *