Back to top

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista de Jennifer E. Smith – Semana de Resenhas Record #2

a probabilidade estatística do amor a primeira vista

 

Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501095442
Ano: 2013
Páginas: 223
Tradutor: Camila Mello

Sinopse:

Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

Página no Skoob

 

Impressões por Bianca Benitez

Hadley fecha os olhos só por um momento.Ao abri-los novamente,o avião não está mais lá. Quem diria que quatro minutos poderiam mudar tudo?”

 

Hadley está indo, quase que forçada, ao casamento de seu pai em Londres, ela não o vê a um ano, pois a dois anos atrás ele foi para Oxford a trabalho e nunca mais voltou, seis meses depois ela descobriu que existia Charlotte, por quem seu pai estava apaixonado, e não o perdoa apesar da mãe sempre dizer que todos estão melhores assim, mas ela não está e não quer conhecer a noiva de seu pai no dia do casamento, conhecer essa vida nova dele da qual ela não faz parte, foi excluída. Após a separação dos pais Hadley começou a ter ataques de pânico e claustrofobia e somente um conselho que recebeu de seu pai  resolve que é pensar no céu, mas em uma viajem de avião ele não resolve nada.

Depois de tudo dar errado no dia da sua ida para Londres, que ela deseja cada vez mais não ter que ir, Hadley se atrasa e perde o voo e acaba ficando três horas  no aeroporto sozinha esperando pelo próximo voo, e conhece Oliver, um menino lindo e gentil que a ajuda com sua mala e a aguentar as horas de espera e algo acontece, ela se sente bem por estar com ele, e ele sente o mesmo, e por coincidência eles acabam juntos no avião e conversam muito enquanto atravessam o atlântico e são muito sinceros um com o outro sobre o que estão sentindo, o motivo de suas viagens suas famílias e Hadley acaba desabafando  toda a raiva, tristeza e decepção em relação ao pai e Oliver a entende, realmente compreende tudo e acaba desabafando algumas coisa a ela também, mas são suas brincadeiras  e piadas enigmáticas sobre o que estuda que fazem com a viajem de Hadley seja  muito melhor do que ela esperava e a conexão entre eles é visível, mas no desembarque  eles acabam se perdendo e ela, mesmo se sentindo melhor, ainda tem que enfrentar seu pai, o casamento e conhecer Charlotte,mas não consegue parar de pensar no céu e em Oliver, e depois de tudo o que conversaram ela começa a encarar tudo isso de forma diferente e acha que o fim de semana não será tão insuportável assim.

Hadley tenta se concentrar na comida,mas não consegue deixar de olhar para ele de vez em quando.Sempre que o faz seu estômago dá um salto.”

 

Oliver a observa com a expressão cheia de indagações.Ela murmura as palavras,correndo os dedos pela linha que o pai deve ter feito.

“Será melhor ter alguma coisa e perdê-la,ou nunca a ter tido?“”

Esse foi o livro mais fofo, emocionante e lindo que li, apesar do título nos remeter a uma história de amor, ele não é somente sobre romance, mas muito mais, é sobre separações, despedidas e principalmente como lidamos com o sofrimento.

 

Hadley sabia melhor do que ninguém que até mesmo o silêncio podia virar uma coisa maior que as próprias palavras,como aconteceu entre ela e seu pai.”

 

A protagonista é uma adolescente em sua conversa com Oliver, disseca seus sentimentos em relação a separação dos pais, de se sentir abandonada por ele e a raiva que sente por ele estar formando uma nova família e a maneira como a autora conduz esses desabafos é emocionante e impossível de não se envolver e chorei muito em alguns trechos, pois os sentimentos parecem saltar do papel e Oliver é um ouvinte fofo e divertido, ao mesmo tempo que parece compreender tudo o que ela sente e a faz comentários que sempre fazem com ela se sinta melhor, ele é o cavalheiro de armadura brilhante que está lá para salvá-la e segurar sua mão durante todo o processo.

 

A dor que sente é parecida com a dor de quando ele se foi;é a mesma ferida sensível que se abriu quando ele contou sobre Charlotte.Só que dessa vez,sem nem perceber,ela se apoia na dor,em vez de afastá-la.”

 

A reconciliação de Hadley com o pai através de um desabafo sincero é emocionante de acompanhar e mais uma vez cheguei as lágrimas e senti tudo o que os personagens sentiam naquele momento com uma narrativa mais que sincera.

 

Hadley percebe que,apesar de tudo estar diferente,apesar de estarem separados por um oceano,nada extremamente importante mudou.Ele ainda é seu pai.O resto é mera questão geográfica.”

 

Os encontros inesperados entre Hadley e Oliver são tão fofos e o romance que começa a brotar no aeroporto é tão bem desenvolvido através das história, que ficamos sempre esperado por mais um encontro e o que acontecerá nele, pois eles fazem tão bem um ao outro que fica impossível não acreditar no amor à primeira  vista. Esse livro mexeu profundamente comigo e tenho certeza que vai ser um daqueles que fica comigo por muito tempo, mesmo depois de ter acabado de lê-lo a algum tempo, e vou continuar suspirando pela narrativa de Jennifer E. Smith.

 

A arbitrariedade desse encontro a espanta.Como qualquer outro sobrevivente,sente uma leve onda de gratidão,metade adrenalina,metade esperança.”

 

“Uma pessoa falou certa vez que há uma fórmula para o tempo que se leva para esquecer alguém:é a metade do tempo que ficaram juntos.Hadley tem lá suas dúvidas sobre essa teoria.”

 

“Durante toda a viagem você não percebeu que eu estava indo…. Sabe por quê?

Hadley não sabe o que dizer.

Porque eu estava com você – fala para ela – Eu me sinto melhor quando estou com você.”

 

“O que você estuda de verdade?

Ele se afasta e olha para ela.

A probabilidade estatística do amor à primeira vista.

Que engraçadinho – diz ela.- Fale a verdade.

Estou falando sério.”

 

“O amor é a coisa mais estranha e sem lógica do mundo.”

 

 

Vou parar por aqui ,a vontade é transcrever quase o livro todo,pois são tantas frases de impacto,fofas,lindas e que me emocionaram que escolher algumas é difícil,leiam o livro vocês não vão se arrepender.

 

semana de resenhas record

 

Essa resenha faz parte do Projeto Semana de Resenhas Record“, e tem como blogs participantes os abaixo relacionados:

 

maisblog_c6bea18f4e13b8fd9d14a4758ef6d9311346198594

Comentários

  1. Olha eu até estava resistente em ler esse livro, mas depois que li me apaixonei demais!!! E concordo com vc que os encontros de Hadley e Oliver são fantásticos . Deixou uma boa impressão.

    Reply
  2. Como assim???? Você começa a falar do livro e no melhor da resenha você vira e fala que vai parar por aqui!!!!!!!! Tem noção da curiosidade que fiquei aqui???? Amiga má… Que resenha mais deliciosa, Bianca. Se a intenção era fazer todos quererem conhecer Hadley e Oliver, atingiu seu objetivo comigo. Elimar já quase fez eu surtar com a resenha de O Principe Corvo, agora você… Pode deixar, tá?!?!?! Vou ler o livro e matar essa minha curiosidade. bjoks
    Ótimo ter você de volta 🙂
    Eykler

    Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *